quarta-feira, 26 de maio de 2010

25º Aniversário do GFFNI (53)


I -Um arraial à antiga


Açafate de pão alvo
Quer erva-santa ao redol:
Um home carece esposa
Como trigo pede sol.

Vitorino Nemésio -Festa Redonda

Altas, airosas, croando
As janelas das Fontinhas,
As minhas primas, coitadas,
Só na saudade são minhas!

Vitorino Nemésio -Festa Redonda

Namorando mocetões,
Nenhuma me quis, mas todas
Me deram seus olhos puros
E doces das suas bodas.

Vitorino Nemésio -Festa Redonda


Elas cá vão, correr bodos
E bailar à moda antiga
Nas quatro rodas pintadas
Dos versos desta cantiga

Vitorino Nemésio -Festa Redonda

O meu, é o "Chico"...

(continua)


2 comentários:

sandra disse...

Queria comentar...mas não consigo! As lágrimas inundam-me os olhos e a saudade crava-me o coração! Beijos pra todos. Abraço de saudade

Bagos disse...

Cara Sandra

Há sempre um doce amargo nas saudades, que deleita e que contrista: um sentimento de prazer e de dor, que nos encanta e penaliza.

Volte sempre!