terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

AÇORIANOS AGRACIADOS

Fotografia de Carlos Portulez Ruiz 
Legenda: Dr. João Goulart Bettencourt, Monsenhor José Avelino Bettencourt, Dr. Vitor Escudero, Jácome de Bruges Bettencourt, Suas Altezas Reais Duquesa e Duque de Bragança e Cónego Francisco Dolores Medeiros.


No passado dia 6 de fevereiro realizou-se na Igreja Nossa Senhora da Conceição Velha, em Lisboa, a cerimónia anual da investidura de novos membros na Real Ordem de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa. 
A Santa Eucaristia foi presidida por D. Nuno Brás, Bispo Auxiliar do Patriarcado de Lisboa, durante a qual se procedeu à investidura de dois eclesiásticos e seis civis a quem o Grão-Mestre, S.A.R. o Senhor Duque de Bragança impôs as insígnias. Cerimónia em que participaram meia centena de cavaleiros da Ordem e vinte damas da Ordem de Santa Isabel.
Foi convidado a participar na Missa, o Bispo Emérito d’Angra D. António de Sousa Braga.
Seguiu-se um almoço de confraternização na Pousada Lisboa – Pestana do Terreiro do Paço.
Esta Ordem Dinástica Portuguesa, passou a contar agora com mais três açorianos. Ou seja, Monsenhor José Avelino Bettencourt, diplomata, responsável pelo Protocolo no Vaticano, o Cónego Francisco Dolores Borges de Medeiros, reitor do Santuário de Nossa Senhora da Conceição de Angra do Heroísmo, e um dos sacerdotes mais queridos da ilha Terceira, e Jácome de Bruges Bettencourt, Cônsul Honorário de Cabo-Verde nos Açores.
Instituída por Decreto publicado no Rio de Janeiro em 6 de fevereiro de 1818, a Ordem de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa representou solene testemunho de reconhecimento pela libertação do nosso País de um gravíssimo risco e constituiu, nas palavras de Sua Majestade Fidelíssima El-Rei Dom João VI, memória “da devoção que consagro a Nossa Senhora da Conceição invocada por Padroeira do Reino pelo Senhor Dom João IV, Meu predecessor e Avô, expressamente ligada à Casa de Bragança, a cabeça da Ordem era a Capela Real de Vila Viçosa, pertença do Património Brigantino anterior à Nossa Aclamação Dinástica”.
Tudo imprime, portanto, à Ordem de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa caraterísticas específicas que, colocando-a muito além do simples plano de Ordem Estatal (nessa qualidade extinta pelo Decreto de 18 de outubro de 1910), lhe conferem uma perenidade de natureza histórico-familiar. Por isso, Sua Majestade Fidelíssima El-Rei Dom Manuel II e depois sua Alteza Real o Duque de Bragança (Dom Duarte Nuno), além de até à morte terem usado das insígnias de Grã-Cruzes da Ordem, foram pela prática comum reconhecidos como seus Grão-Mestres, nomeadamente pelos outros Chefes de Casas Reais, tal como resulta da Declaração emitida pelo Duque de Bragança (Dom Duarte Pio) e registada no Vaticano (THE CROSS ON THE SWORD, Supplement to Orders of Knighthood, Awards and the Holy See, Peter Bander van Duren, 1987).


quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

S. Pedro e S. Paulo ...

... Quinta-feira dos compadres



Algumas pessoas mais antigas da ilha Terceira contavam que  havia um padre, amigo de ter na missa Verdelho da adega da Casa Agrícola Brum,que todos os Domingos, enquanto fazia a homilia, exaltado, batia com as mãos numa toalha branca colocada pelas senhoras da congregação e deixava manchas, talvez de tabaco - era ao que consta um inveterado fumador - que obrigavam a uma substituição constante da dita toalha. A situação arrastou-se até ao dia em que alguém dentre das responsáveis pela limpeza da igreja se lembrou de colocar tachas (pioneses) por baixo da toalha... 
Reza a história que nesse domingo o padre, ao bater exaltadamente na toalha enquanto pregava - Porque meus irmãos, S. Pedro e S. Paulo, grandes... - acrescentou - filhos da p***!


quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Compilação da Imprensa (60)

O anterior AQUI

Miguel Amorim garante tratar-se de um produto único nos Açores

Casa Agrícola Brum lança vinho
envelhecido durante 18 anos

no Diário Insular de 15 de Fevereiro de 2017


Clicar nas imagens para ler melhor

BRUM a centésima oitava colheita da Casa Agrícola Brum, Ilha Terceira, Açores Aqui

Rótulo aqui

Casa Agrícola Brum com nova administração - 2007- Aqui

Garrafa Comemorativa do 125.º Aniversário da Casa Agrícola Brum - 2015 - Vídeo Aqui


Outras "Parras" :

Planta da Freguesia dos Biscoitos (ano 1830) aqui

Plantas Vasculares nas Vinhas dos Biscoitos (ano 1971) aqui.

"A vinha perde-se e a população nada ganha" (ano 1994) aqui.

"Região de Biscoitos, nos Açores - Casas em vez de vinhas" - Santos Mota (ano 1994) - aqui.

"Biscoitos: que futuro? "-José Aurélio Almeida (ano 1996) - aqui.

"As Vinha dos Biscoitos" -Bailinho de Carnaval da Freguesia das Fontinhas. (ano 1997) aqui.

Pisa e Mosto (1997) aqui

Sinónimos- Casta Terrantez da Terceira -Aqui

"Uma virada nos Biscoitos"(Açores)- (ano 1998) aqui.

O viticultor açoriano está envelhecido (ano 1998/99) aqui

“Provedor de Justiça dá razão à Confraria” (ano 1999) aqui.

“Museologia de Interpretação da Paisagem Ecomuseu dos Biscoitos, da ilha Terceira” - por Fernando Santos Pessoa (ano de 2001) aqui.

"Carta de risco geológico da Terceira" (ano ano 2001) aqui.

"Paisagem Báquica - Memória e Identidade" - Aurora Carapinha (ano 2001) aqui.

“A Paisagem Açoriana dos Biscoitos” - por Gonçalo Ribeiro Telles (ano 2002) aqui.

"Fadiga sensorial" (ano 2007) aqui.

"Defender curraletas!" (ano 2007) aqui.

"Tutores" (ano 2007) aqui.

"Rememorando as origens dos Biscoitos nos séculos XV e XVI"- por Rute Dias Gregório (ano 2008) aquiaqui e aqui.

“A Vinha, o Vinho dos Biscoitos e o Turismo” - por Margarida Pessoa Pires (ano 2009) aqui.

"O Aditivo"- por Francisco dos Reis Maduro-Dias -ano de 2009 Aqui

A Casa Agrícola Brum tem nova administração - ANO de 2010 AQUI

Biscoitos de Lava para os “sete magníficos” (ano 2011) aqui

"Acerca do vinho" -por Francisco Maduro-Dias (ano 2011) Aqui

Sócios da associação de viticultores da ilha Terceira -  Adega Cooperativa dos Biscoitos C.R.L.- não recebem há mais de 6 anos- Ano de 2011 - Video RTP  Aqui

Produtores engarrafadores e produção de vinho nos Biscoitos em 2012-  Aqui

Produção de vinho nos Biscoitos em 2015 - Aqui

Garrafa Comemorativa do 125.º Aniversário da Casa Agrícola Brum - 2015 - Video Aqui

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Rótulos (12 A)

Os anteriores aqui


Produtor engarrafador: Casa Agrícola Brum
Rótulo: 10 cm x 10 cm
Concepção: Luís Pinheiro Brum
Impressão: Inlabel Lda. - Ponta Delgada
Ano: 2016
Colecção: Museu do Vinho dos Biscoitos da Casa Agrícola Brum
Vinho lançado pela 5.ª geração dos Brum no dia 12.02.2017

domingo, 12 de fevereiro de 2017

ÚLTIMA HORA

Apareceu o irmão do Brum certificado


BRUM, a centésima oitava colheita da  Casa Agrícola Brum- Ilha Terceira – Açores

Após uma "deportação" de dezanove anos nos Azureus apareceu hoje, pela mão de Luís Pinheiro Brum (trineto de Francisco Maria Brum), o irmão do Brum – Biscoitos  vlqprd (com cadastro), o primeiro certificado da ilha Terceira. Este é um BRUM doce,  irmão mais velho dos  irreverentes  “Chico Maria”, da Angelica e dos tranquilos "Donatário" e "Da Resistência"

As inevitáveis fugas do carvalho e as naturais oxidações deste “BRUM” vão ao encontro do gosto de cada uma e de cada um, pois o gosto é a mais vã de todas as questões. O gosto é a razão sentida. 

Calma, agora é tempo  de “baixas pressões”(...) vamos aguardar pelo  centro de “altas pressões”,  o anticiclone...

“Fundada em 1890, a Casa Agrícola Brum tem inscrita na sua identidade a génese do vinho. Um sabor ancestral que surge na Região com os primeiros povoadores portugueses e a necessidade de suprir as naus da Rota das Índias que aportavam em Angra.

Apresentamos com esta garrafa a centésima oitava colheita da Casa Agrícola Brum, um marco de perseverança no meio de uma terra vulcânica de “biscoito”.

Um vinho branco licoroso, único, maior de idade e para ser apreciado com a sabedoria que lhe é devida.”  


domingo, 5 de fevereiro de 2017

Intriga - Provérbios e Pensamentos

- A intriga é o recurso das almas fracas e viciosas, como a esgrima é o recurso das almas baixas.

- O intrigante é como a aranha, que cerca a sua pele de fios imperceptíveis. 

- Eles querem enterrar-nos, mas não sabem que somos sementes. 

- Poucas amizades subsistiriam, dizia Blaise Pascal, se cada um soubesse aquilo que o amigo diz de si nas suas costas.

- O mel do intriguista é mais fácil de se engolir.

- Intriga de irmão, intriga de cão.

- Enredar para mandar.

- Entre os cortesões, dizia Luiz XIV, eu descubro muitos intrigantes, e mui poucos amigos.

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

EFEMÉRIDES AÇORIANAS- FEVEREIRO (9)


Ponta Delgada- século xx

1.1975- O programa norte-americano People-to-People oferece à Estação Agrária da Ilha Terceira uma tonelada de semente de luzerna Hoapa 69 e dois aparelhos para análise de terras.

2. 1991- A União de Cooperativas de S. Jorge inaugura as suas novas instalações.

3.1974- O Banco Pinto &Sotto Mayor compra a chave do estabelecimento de fazendas sito na Praça Velha, em Angra do Heroísmo, (a Loja Primavera, do sr. António Lobão), onde instalará a sua agência.

4.1975- A Direcção da Sociedade Recreio Lajense, na ilha Terceira, recebe do Programa People to People 179 cadeiras (transporte incluído) destinadas à sua Sala de Espectáculos.

5.2010- Realiza-se em Angra do Heroísmo o VI Encontro de Tunas –Sons do Mar.

6.1975- Em colaboração com a PSP o Grémio do Comércio realiza na sua sede em Angra do Heroísmo uma reunião com proprietários de cafés, restaurantes, casas de pasto, tabernas e similares a fim de esclarecer os comerciantes sobre a higiene e marcação de preços das mercadorias.

7.1974- Depois de ter percorrido o Arquipélago dos Açores o botânico dinamarquês Alfred Hansen  publica  Contribuitions to the Flora of the Azores – III. Estudo dedicado aos Açores. Alfred Hansen um dos cientistas do Museu Botânico de Copenhaga e o seu trabalho é publicado no Anuário da Sociedade Broteriana, existindo uma separata.

8.1974- A Comissão Executiva da Junta Geral do Distrito de Angra do Heroísmo autoriza o Museu daquela cidade a despender 105 contos com a aquisição de móveis e reparação e restauro de espécies pertencentes às colecções daquele estabelecimento.

9. 1911-Falece, o filantropo e benemérito, João de Melo Abreu proprietário, em Ponta Delgada, da Fabrica de Cervejas e Refrigerantes “Melo Abreu”.

10.1974- A Circunscrição Florestal de Ponta Delgada recebe do continente uma remessa de 100 mil ovos de trutas para repovoamento das ribeiras e lagoas da Ilha de S.Miguel.

11.1975- Os alunos do 6.º ano do Liceu de Angra do Heroísmo realizam uma garraiada praça de toiros de s. João, em Angra do Heroísmo, sendo o curro fornecido pelo criador José Albino Fernandes.

12.1975- É nomeada uma comissão para se proceder a competente estudo oficial de captação e exploração da água minero-medicinal da Serreta, na ilha Terceira. Este grupo é constituído pelos directores das Obras Públicas, dos Serviços Industriais, Eléctricos e de Viação, um economista /contratado), Sr. Dr. Alvarino Pinheiro, além do Director do Laboratório Distrital. 

13.1972-O valor bruto da produção de Lacticínios nos Açores referente ao ano transacto foi de 444.500 contos.

14.1974- Durante o ano transacto escalaram o porto da Horta 124 iates de recreio.

15.1964- A Vila das Velas (ilha de S. Jorge) é fortemente abalada por um sismo.

16. 1974- Na companhia de sua Esposa encontra-se em Angra do Heroísmo o artista/escultor Ernesto do Couto Faria e Maya, conhecido no mundo das artes por Canto da Maya.

17.1983- A SOMAG adjudica por 1,600.000$00 o molhe sul do Porto Oceânico da Praia da Vitória. O contrato firmado nos Paços do Concelho da Praia da Vitória.

18.1976- A Câmara Municipal de Santa Cruz, ilha Graciosa, adjudica a uma firma locla o fornecimento de material necessário à electrificação das zonas Vitória/Ribeirinha/Almas/Barro Branco/Manuel Gaspart/e Pedras Brancas no valor de 1.157.329$00.

19.1976- O quilo da cebola em Angra do Heroísmo é de 30$00 e os alhos a 100$00 cada mil gramas. 

20. 1987- Falece no Hospital da C.U.F., freguesia dos Prazeres, em Lisboa, Vitorino Nemésio Mendes Pinheiro. Sendo sepultado tal como sua mulher e sogros, no Cemitério de Santo António dos Olivais, Coimbra, em cujos arredores, a família, pelo lado de D. Gabriela Azevedo Gomes, possuía propriedades, Quinta das albergarias à Cruz de celas e os Casaréus do Tovim, onde Vitorino Nemésio teve casa.

21.1936- O estabelecimento de fazendas de Emílio Borges de Ávila, em Angra do Heroísmo, tem para venda uma capa da Irmandade de  Passos em óptimo estado e a bom preço.

22.1982- Trinta e três alunos e professores do Curso de Defesa Nacional estão nos Açores, chefiados pelo general Altino de Magalhães.

23.2002- É fundada a Academia do Bacalhau da Ilha Terceira.
  
24. 1957-É inaugurada a Casa de Trabalho da Fundação de Nossa Senhora da Vida em Vila Franca do Campo.

25.1935- É inaugurado na cidade da Horta a agência do Banco de Portugal.

26. 1944- Abre da Cidade da Horta o “Café Volga”.

27- 1989- É inaugurada uma Exposição Numismática no Museu de Angra.

28.1952- É destruída por uma tempestade a lancha Donna da Companhia Balieira Mariense.

29.2012- Encerra ao público na Escola Secundária Dr. Ginestal Machado em Santarém a Exposição colectiva de fotografia – Retratos dos Portugueses- que integra um conjunto de fotografias da autoria do açoriano, natural da ilha Terceira, Luís Mendes Brum.


Fonte: Arquivos de José da Silva Maya, Álvaro de Castro Meneses, “Revista Ilha Terceira” e “Almanaque Açores”.