sexta-feira, 1 de maio de 2015

EFEMÉRIDES AÇORIANAS – MAIO (7)


Gravura do edifício da Cozinha Económica Angrense

1. 1862- Composta e escrita num quadro, com esmero caligráfico pelo Dr. José Augusto Cabral de Mello, secretário da Câmara Municipal de Angra do Heroísmo, é apresentada na exposição universal que decorre em Londres, a ODE dedicada a Sua Alteza Real o Príncipe Alfredo, na sua chegada á ilha do Faial, na fragata a vapor “Euryalus”.

2. 1601- Desde o ano 1599 até agora a “peste” matou na Praia (ilha Terceira) 700 pessoas.

3.1905- O Sr. Severiano de Bettencourt, na Rua do Salinas, 52 a 60, em Angra do Heroísmo, acaba de receber serviços de jantar e almoço, Costureiras, escrivaninhas e contadores, leques, etc. da China e do Japão.

4.1938- É fundado em Angra do Heroísmo o Marítimo Spot Club.

5.1960- O Café Nicola na Rua de Lisboa (Rua Direita), 59, tem novo horário: aberto da 07h00 às 01h00.

6. 1912- O Sr. Manuel de Freitas Mariano, com escritório e depósito na Rua de Santo Espírito 82, 1º D, em Angra do Heroísmo, informa que recebeu modernas máquinas de costura Davis. O Sr. Freitas Mariano é agente da Companhia de Navegação Llyd Sabaudo – Mala Real Italiana

7.1791- Por acórdão da Câmara de Angra é mandada a El-Rei uma representação, que foi deferida, para que se criasse uma cadeira de grego e as cadeiras de primeiras letras nas freguesias de S. Jorge, S. Bartolomeu, S. Mateus, Terra-Chã, S. Pedro da ribeirinha e uma em Vale de Linhares.   

8. 1930- A Fundição Terceirense com oficinas no Caminho da Ponta do Muro- escritório à Rua da Pereira, 32-A e Depósito na Rua da República (Rua da Sé), 140-142, constrói e repara prensas, charruas, sachadeiras, debulhadoras de milho, varandas direitas e de papo de pomba, fogões, etc.

9.1840- Nasce na freguesia de Santa Bárbara, concelho de Angra do Heroísmo, José Mendes de Sousa. Professor e político.

10.1846- É lançado na baída d’Angra o último brigue, baptizado com o nome Faísca, construído no estaleiro onde hoje existe o Porto das Pipas.

11.1930- A Fábrica de Santo Cristo de Armando Braz, junto A Ermida, em Angra do Heroísmo, fornece bolachas e biscoitos. É também depositária da cerveja “Leão”.

12.1908- A Loja da Estrela de José dos Santos, na Rua de S. João, 117 a 123, em Angra do Heroísmo, “tem um colossal sortimento em chapéus e guarda- sois, para senhora, homem e criança, a preços sem competência”.

13.1957- A Afeitaria Bettencourt, à Rua de Lisboa, 43 (Rua Direita), em Angra do Heroísmo precisa de meia costureira. 

14.1956- A Casa de Pasto do Sr. José Gaspar, Rua Dr. Eduardo Abreu) Rua da Esperança), em Angra do Heroísmo, fornece a toda a hora comida e bons vinhos.

15. 1956- A “Princesa das Meias” de José Gonçalves Leonardo, na Rua da República (Rua da Sé), 86 a 90, tem novo sortido de fazendas de lã, seda e algodão.

16.1905- A Tipografia Sousa & Andrade na Rua Direita, 111 e 113, em Angra do Heroísmo informa que executa trabalhos de encadernação com perfeição e rapidez.

17. 1905- O Sr. João Vieira Gomes, na Rua D. Amélia,11 (rua do Galo) em Angra do Heroísmo, “fabrica e encarna imagens de toda a qualidade”.

18.1957- Zarpa do porto de Angra do Heroísmo rumo a Lisboa o navio- motor “Girão”.

19.1875- O comerciante angrense David Lery compra a casa sita à Rua de S. João, em Angra do Heroísmo.

20.1897- O depósito de mercearia e líquidos de Francisco Coelho da Rocha Gomes, à Rua Dona Amélia ( Rua do Galo), 26-27, esquina com a Rua de Santo Espírito, em Angra do Heroísmo, vende Arenques de Fumo

21.1927- A mercearia Costa &Costa na Rua Marquês da Praia e Monforte 1e 7, e na Rua do Brum, 37, em Ponta Delgada, acaba de receber chocolates ingleses Fry’s.

22. 1714- Falece na ilha de S. Jorge o bispo d’Angra D. António Vieira Leitão, sendo sepultado no mosteiro das religiosas do Rosário da Vila das Velas.

23.1946- A Associação de Futebol de Angra do Heroísmo convida a menina Isabel Maria Corte-Real e Amaral, gentil filha do Sr. Joaquim Corte-Real e Amaral, para “madrinha” dos desportistas faialenses que hoje chegam á ilha Terceira.

24. 1614- A Vila da Praia, na ilha Terceira, é arrasada por um violento abalo de terra, sendo restaurada e melhorada por ordem de Filipe II, então rei de Portugal. 

25.1961- O Satand Vaupel à Rua de São João, 51, recebe receptores “telefunken”.

26. 1960- O Centro Comercial das Neves, Sucessoras, na Rua da República, 69, recebe a nova colecção de chapelaria gravataria e guarda-sóis.

27.Falece no Hospital de Santo Espírito, em Angra do Heroísmo, reverendo padre José Martins Simas, pároco da freguesia das Fontinhas.

28.1849- A Ermida de S. João, na Rua de São João em Angra do Heroísmo, é profanada.

29. 1956- A Auto Angrense, Lda., na Rua General Carmona, (Rua do Salinas),14 a 18,tem serviço permanente de bomba de gasolina e óleos.

30.1862- É instituída em Angra do Heroísmo a Sociedade Auxiliadora das Classes Laboriosas.

31- 1900- A Cozinha Económica Angrense toma posse de parte da cerca (720 metros quadrados), do extinto Convento de S. Gonçalo.


Fonte: Arquivos de José da Silva Maya, Álvaro de Castro Meneses, Arquivo Cabido da Sé d’Angra e “Almanaque Açores”.


segunda-feira, 27 de abril de 2015

Garrafa Comemorativa do 125.º Aniversário da Casa Agrícola Brum


A Casa Agrícola Brum deu início às comemorações do seu 125º Aniversário com o lançamento de uma edição limitada de cento e vinte cinco garrafas torneadas, numeradas e assinadas pelo artista açoriano Renato Costa e Silva. Estas peças únicas resultam de um elaborado processo a partir de misturas de grés e vidrado com pó de pedra local, cozidas a alta temperatura (1200ºC) em forno de lenha durante 36 horas.
Contacto: casa.agricola.brum@gmail.com // (+351) 965 667 324
Museu do Vinho dos Biscoitos, Ilha Terceira, Açores, Portugal

Para ver o vídeo clicar aqui: https://vimeo.com/126012101


quarta-feira, 1 de abril de 2015

EFEMÉRIDES AÇORIANAS – ABRIL (7)

Sé d’Angra Gravura do princípio do século XIX.

1.1857- Sai na Horta o primeiro número de “O Fayalense”.

2. 1900- A Loja do Sr. Ernesto de Freitas, na Rua da Sé, vende o excelente queijo de S. Jorge da Fábrica do Sr. Alexandre Leite.

3.1895- Realiza-se em Angra do Heroísmo a “Procissão do Triunfo”, que não concluiu o percurso previsto em consequência do estado do tempo. 

4. 1832- D. Pedro IV assiste a um Te- Deum na Sé d’Angra

5.1948- São aprovados na freguesia dos Biscoitos, ilha Terceira, os Estatutos da Filarmónica Progresso Biscoitense – Sociedade de Instrução e Recreio 

6. 1906- A Loja do Buraco, na Rua da Sé em Angra do Heroísmo vende Bilhetes-postais de vistas e costumes da ilha Terceira a 20 reis cada.

7. 1832- Chaga á ilha do Faial D. Pedro IV

8.1959- A loja de António Grandela,  Rua da Sé 105, Angra do Heroísmo, vende o “modo de oferecer o Terço ao Divino Espírito Santo

9.O Sr. Arnaldo Bettencourt (Foto-Lilaz) , Rua de Lisboa (Rua Direita, 111, em Angra do Heroísmo, tem para entrega automóveis ISETTA BMW.

10. 1906- A Loja dos 3 Globos de Hypolito & Oliveira, na Rua de São João em Angra do Heroísmo, vende um bonito sortido de espartilhos franceses com barbas de baleia.

11.1905- A Papelaria Cunha de Joaquim da Cunha Pacheco, 5 a 7, Praça da Restauração (actual Praça Velha), ao lado da Ermida de N. S. da Saúde, vende por atacado e a retalho grande sortimento em artigos religiosos, papelaria, livros de estudo e religiosos, objectos para escritório, quinquilharias, perfumarias, tabacos, vinhos, engarrafados, licores, calçado e outras miudezas. 

12.1672- A ilha do Faial é atingida por uma crise sísmica

13.1840- Vindo da ilha Terceira, encontra-se no porto da Horta o cúter português “Andorinha”.

14. 1960- A Mercantil de António Domingos, secção de madeiras, na Rua Infante D. Henrique, 73 e 75, tem para entrega madeira aglomerada” Tabopan”.

15.1905- Emilio Borges d’Ávila & Irmão (antigo estabelecimento dos Srs. Bento José de Mattos Abreu &Filho) na Rua da Sé 18 a 24 e 28 a 30 vende por atacado e a retalho sortimento completo de fazendas em algodão, lã e seda.

16. 1961- A fábrica de Lacticínios da Ilha Terceira, Lda. com escritório central à Rua 5 de Outubro (Rua da Guarita) 218, em Angra do Heroísmo, envia nova remessa de queijo marcas “Castelinhos” e “Vaquinha”.

17.1960- A Empresa de Construções Angrense de João Silveira Luís, na Avenida Doutor Luís Ribeiro (28 de Maio,vulgo Avenida da Pedreira), em Angra do Heroísmo, tem no seu mostruário modernas loiças sanitárias. 

18.1895- A Papelaria Teixeira, `Praça da Restauração (Praça Velha), em Angra do Heroísmo, aceita encomendas de balões, de todos os tamanhos, para iluminações.

19.1904- A Escola Industrial Madeira Pinto, em Angra do Heroísmo, é considerada, por decreto, escola oficial.

20.1912- Monjardino & Azevedo tem no mercado manteiga marca “Ilhéus” produzida na Fábrica da Feteira, ilha Terceira.

21.1998- Vista o Museu do Vinho da Casa Agrícola Brum o uma delegação da Confraria Gastronómica Panela ao Lume e o seu Mordomo-Mor Dr. Gonçalo dos Reis Torgal.

22.1905- A Papelaria Central do Lourenço (Bola á Porta) na Rua Direita, 108 e 110, em Angra do Heroísmo, tem á venda rabecas, bandolins, violões, ocarinas, flautins etc. 

23.1930- A Farmácia Sousa de Carlos Rodrigues de Sousa, à Rua da República, 62-64, em Angra do Heroísmo é depositária exclusiva do Vicks Vaporub da Vick Chemical Company e da “Pomada Santa Helena”. Esta Farmácia tem serviço noturno.

24.1956- A Casa Tarrafeiro de António José Inácio da Silva, na Rua da República (Rua da Sé), 85, em Angra do Heroísmo, tem na montra o n.º da sorte, lotaria de ontem.

25.1919- Na freguesia de São Pedro de Angra do Heroísmo o Sr. Eng.º Pires Toste dá esmolas de carne, pão e vinho em louvor do Divino Espírito Santo.

26.1912- A Casa Moderna de Macedo&Pereira na Rua de Lisboa 105-107 (Rua Direita) em Angra do Heroísmo, informa os seus estimados clientes que recebeu uma linda colecção de cortes de fatos, calças, sobretudos de finas camisarias. 

27.1974- Militares ocupam em Angra do Heroísmo as instalações da Legião Portuguesa, na rua de São João e as da direcção Geral de Segurança –DGS, na Rua Duque de Palmela. 

28.1960- A Casa Bispo de José Silvério Bispo, na Rua da República (Rua de Jesus), 91, na Praia da Vitória, recebe nova colecção de perfumes.

29.1973- A Loja Espírito Santo de Manuel Adriano da Costa Suc. Narciso da Costa recebe nova remessa de cervejas Cuca de que é representante na ilha Terceira.

30. 1876- É colocada na Real Capela do Colégio d’Angra a primeira escultura do mártir terceirense João Baptista Machado., oferecida pelo bispo D. João Maria.

Fonte: Arquivos de José da Silva Maya, Álvaro de Castro Meneses, Arquivo Cabido da Sé d’Angra e “Almanaque Açores”.

terça-feira, 3 de março de 2015

Compilação da imprensa (47)

Os anteriores aqui

"AÇORES VIVEM A HORA DE BACO"

editorial - Diário Insular 28 de Fevereiro de 2015
Produção de vinho nos Biscoitos em 2014 - aqui

Outras "Parras" :
Sinónimos- Casta Terrantez da Terceira -Aqui

Planta da Freguesia dos Biscoitos (ano 1830) aqui

Plantas Vasculares nas Vinhas dos Biscoitos (ano 1971) aqui.

"A vinha perde-se e a população nada ganha" (ano 1994) aqui.

"Região de Biscoitos, nos Açores - Casas em vez de vinhas" - Santos Mota (ano 1994) - aqui.

"Biscoitos: que futuro? "-José Aurélio Almeida (ano 1996) - aqui.

"As Vinha dos Biscoitos" -Bailinho de Carnaval da Freguesia das Fontinhas. (ano 1997) aqui.

Pisa e Mosto (1997) aqui

"Uma virada nos Biscoitos"(Açores)- (ano 1998) aqui.

O viticultor açoriano está envelhecido (ano 1998/99) aqui

“Provedor de Justiça dá razão à Confraria” (ano 1999) aqui.

“Museologia de Interpretação da Paisagem Ecomuseu dos Biscoitos, da ilha Terceira” - por Fernando Santos Pessoa (ano de 2001) aqui.

"Carta de risco geológico da Terceira" (ano ano 2001) aqui.

"Paisagem Báquica - Memória e Identidade" - Aurora Carapinha (ano 2001) aqui.

“A Paisagem Açoriana dos Biscoitos” - por Gonçalo Ribeiro Telles (ano 2002) aqui.

"Fadiga sensorial" (ano 2007) aqui.

"Defender curraletas!" (ano 2007) aqui.

"Tutores" (ano 2007) aqui.

"Rememorando as origens dos Biscoitos nos séculos XV e XVI"- por Rute Dias Gregório (ano 2008) aquiaqui e aqui.

“A Vinha, o Vinho dos Biscoitos e o Turismo” - por Margarida Pessoa Pires (ano 2009) aqui.

"O Aditivo"- por Francisco dos Reis Maduro-Dias -ano de 2009 Aqui

Biscoitos de Lava para os “sete magníficos” (ano 2011) aqui

"Acerca do vinho" -por Francisco Maduro-Dias (ano 2011) Aqui

Produtores engarrafadores e produção de vinho nos Biscoitos em 2012-  Aqui

Produção de vinho nos Biscoitos em 2014 - aqui



domingo, 1 de março de 2015

EFEMÉRIDES AÇORIANAS – MARÇO (7)

As anteriores Aqui

Angra- Real Capela do Colégio. Cópia do desenho à pena do alferes de infantaria Jayme Vaz. Vendo-se na torre direita o primeiro Posto Meteorológico dos Açores.

1. 1900- A Farmácia Santos de Eusébio Santos, na Rua da Sé, vende a excelente “Agua Alcântara” do Vale das Furnas, ilha de São Miguel, especialmente para facilitar a digestão.

2.1840- A escuna inglesa Hero encontra-se no porto da Horta.

3. 1728- É colocada a primeira pedra da igreja da Misericórdia d’Angra, situado em frente do Largo 3 de Março.

4.1900- A Tabacaria Popular de Arão Benarús, à Rua da Sé tem Cigarrilhas “Senoritas Labor” em caixas de 100, 50, 25 e de 20, próprias para ofertas, para além dos conhecidos “Franklin” em carteiras de 5 cigarrilhas.

5.1900- A Farmácia Monteiro, Rua da Sé 70-72, tem um novo desinfectante e purificante o Jeyes’ concetrado, que “não envenena, nem queima, nem faz nódoa.

6.1452- É colocada a “primeira pedra” nos alicerces da Igreja de S. Francisco, em Angra.

7. 1956- A Central de Rádio de Eduardo da Rosa Júnior, Rua do Correio, 14, Praia da Vitória, recebe modernos rádios da marca Philips.

8.1955- “Esta noite choveu pedra”, original de Pedro Bloch, no Teatro Angrense com João Villaret. 

9. 1955- João Villaret sobe ao palco do Teatro Angrense para um recital de poesia. 

10.1776- Nasce na Horta José Francisco da Terra Brum. 

11.1644- Uma provisão de D. João IV dispõe a favor das obras da Sé d’Angra 3.000 cruzados obtidos anualmente com direitos das exportações do pastel da Ilha de S. Miguel. 

12. 1985- A Iluminante Terceirense de L.A. da Silva Cardoso, Ld.ª, à Rua Padre António Cordeiro, 82, (Rua da Palha) recebe nova remessa de eletrodomésticos. 

13.1956- Os Armazéns Martins de João Esteves Júnior, na Rua da República (Rua da Sé), 61 a 69, tem grandes sortidos em nylon, organizas, mousselines, etc.

14. 1956- O Salão Gaspar na Rua de Lisboa (Rua Direita), 94, tem bonés para filarmónicas civis e militares.

15. 1492- É criado em Angra, por El-Rei D. João III, o Hospital de Santo Espírito. É igualmente fundada a Confraria de Santo Espírito, sedeada na Igreja da Misericórdia  

16. 1956- A Casa Fraternidade de Manuel Mendes Pinheiro&Filho, Lda. á Praça Francisco de Ornelas da Câmara, 9 a 14, na Vila da Praia da Vitória, tem modernas louças domésticas e sanitárias.

17. 1804- Na Igreja do Colégio d’Angra está erecta a Irmandade de N.ª S.ª do Carmo e a do Senhor dos Passos desde o encerramento do Convento da Graça.

18. 1829- Estabelece-se no Castelo (Fortaleza) de S. João Baptista, em Angra, a “casa da Moeda”, por iniciativa da junta provisória em nome da Senhora D. Maria II. A criação foi confirmada por decreto da Regência do Reino de 5 de Abril de 1830. Na Casa da Moeda apenas se cunharam moedas de bronze no valor de 80rs.

19. 1900- A Fábrica de Tabacos Flor d’Angra, na Rua do Morrão 30, aceita pessoas que queiram empregar-se nesta indústria.

20.1876- Começam as obras da construção do porto da Horta. 

21.1974- O Sr. Aníbal Veríssimo vai doar terreno destinado ao alargamento do palco da Fanfarra Operária, instituição angrense.

22. 1956- O Sr. José Adriano da Costa, na Praça da Restauração (Praça Velha), 20, 21 e 22, tem para venda máquina alemã de secar roupa marca “Pico”. Cinco quilos de roupa pronta a engomar em 5 minutos. Consumo máximo de $40 por hora.

23.1720- É benzida a Igreja do Castelo em Angra do Heroísmo.

24. 1905- A Chapelaria Terceirense de Raymundo do Canto, na Rua de S. João, 70, em Angra do Heroísmo, tem à venda grande variedade em feltros. Executa por medida em formato á escolha do freguês.

25.1917- Chega adubo ao depósito da Firma do Sr. Fortunato Soares de Melo, gerente e depositário da Industrial Micaelense, na Rua dos Mercadores, 64 a 68, em Ponta Delgada, 

26.1985- A Relojoaria Fonseca, à Rua Serpa pinto, 12, na Praia da Vitória, conserta todo o tipo de relógios mecânicos e de Quartzo.

27.1960- A Loja Modesta de Narciso Cardoso Borges, na Rua Dr. Alexandre Ramos, na Praia da Vitória, tem novidades em malhas, fatos, sedas e lãs.

28. 1836- Por decreto Angra do Heroísmo passa a Capital do districto central dos Açores.

29.1900- A Tipografia Sousa & Andrade, à Rua Jacinto Cândido 15, em Angra do Heroísmo, tem o Almanach Açoreano em liquidação ao preço de 375 rs.

30.1876- A Rua de S. Pedro, Largo 11 de Agosto, Rua da Sé, Praça da Restauração, Rua D. Maria Amélia, e Rua D. Carlos I, são consideradas como fazendo parte da estrada real n.º 1.

31.1974-O comerciante angrense Sr. Arnaldo Fernandes Lobão, proprietário do estabelecimento de fazendas “A Primavera” muda as suas instalações para a Rua do Santo Espírito, 84.

 Fonte: Arquivos de José da Silva Maya, Álvaro de Castro Meneses, Arquivo Cabido da Sé d’Angra e “Almanaque Açores”.

sábado, 14 de fevereiro de 2015

Assembleia Legislativa dos Açores aprova, por unanimidade, votos de saudação e congratulação pelos 125 anos da Casa Agrícola Brum



A Assembleia Legislativa dos Açores aprovou por unanimidade, no dia 10 de Fevereiro pp, um voto de saudação, proposto pelo deputado do PS Nuno Meneses, pelos 125 anos da Casa Agrícola Brum o qual “deve ser dado conhecimento formal à Câmara e Assembleia Municipal da Praia da Vitória, à Junta e Assembleia de Freguesia dos Biscoitos e à Família Brum. A Casa Agrícola Brum, fundada em 1890 afirmou-se desde sempre como uma produtora vitícola e assume-se hoje, não só como uma marca de referência na Ilha Terceira e nos Açores, mas também como um agente importante na defesa da qualidade no sector. Se o vinho do Pico foi o dos Czares, o dos Biscoitos, no séc. XVI, foi o vinho das Caravelas da rota das Índias e das Especiarias. Entre os produtos essenciais ao abastecimento das armadas figurava o vinho “Verdelho”. 
Nessa época, e ainda hoje, a maior mancha de biscoito na ilha Terceira, fica na freguesia dos Biscoitos, na tradicional paisagem de produção de vinho, actualmente Região Demarcada.” 
No “Correio dos Açores”

Na mesma sessão de trabalhos e também ao abrigo das disposições regimentais aplicáveis, a Deputada Judite Parreira pelo Grupo Parlamentar do PSD propôs um voto de congratulação pelo 125.º Aniversário da Casa Agrícola Brum, aprovado por unanimidade, “que deverá ser dado conhecimento a Luís Mendes Brum e aos seus filhos Luís Fernando e Maria Cristina Pinheiro Brum”.



terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

125 anos de Casa Agrícola Brum


No passado dia 2 de Fevereiro de 2015, a Casa Agrícola Brum deu inicio às comemorações do seu 125º aniversário com o lançamento de 125 garrafas em grés, cozidas a 1200ºC em forno de lenha durante 36 horas e cujo vidrado é composto de pó de pedra local, pelo artista terceirense Renato Costa e Silva, que assina e numera cada peça.

Fundada a 2 de Fevereiro de 1890 pelo inovador vinhateiro e proprietário Francisco Maria Brum, a Casa Agrícola Brum celebrou 125 anos de História na companhia de amigos e colaboradores. O investigador e autor de várias obras já publicadas, como “A Cerâmica Terceirense”, Jácome de Bruges Bettencourt, Cônsul Honorário da República de Cabo Verde, proferiu algumas palavras sobre a História e engrenagem da CAB,  tendo o conhecido artista Renato Costa e Silva focado o seu discurso na sua peça. Por outro lado, e uma vez que se comemoram também os 25 anos de existência do espaço etnográfico da CAB – o Museu do Vinho dos Biscoitos – seguiu-se uma visita guiada pela sala de exposição permanente, recentemente remodelada por Edmundo Díaz Sotelo. Como não poderia deixar de ser, presente na cerimónia um Biscoitos d’Honra, acompanhado pelo Bolo do Tijolo (1).

(1) Resquício do pão ázimo, cozido duas vezes (biscoctus), alimento base das tripulações durante o período dos Descobrimentos (séc. XV e XVI).
 A origem toponímica da povoação dos Biscoitos está na espontânea analogia entre as pedras da calçada das vinhas (negras vulcânicas) e os pedaços do biscoctus (do latim, o pão “cozido duas vezes”) lembrando os biscoitos dos marinheiros portugueses do tempo dos Descobrimentos.