quarta-feira, 8 de junho de 2011

Brincos de Princesa – nem princípio nem fim


Amanhã em Angra do Heroísmo

“Sempre ambicionei correlacionar aspectos das minhas raízes culturais açorianas com os meus projectos artísticos. O meu regresso à ilha veio proporcionar isso. É como se estivesse em residência artística prolongada, absorvendo o máximo do que o sitio me pode revelar. Neste sentido, o meu trabalho foca-se neste processo cultural de contacto e troca de diferentes experiências e reflexões artísticas pessoais.  


No caso particular de Nem Princípio Nem Fim é um olhar feminino sobre o feminino, levantando questões sobre o papel tradicionalmente atribuído às mulheres portuguesas no espaço doméstico. Este projecto também é resultado de uma constante investigação de técnicas tradicionais ligadas aos lavores femininos antigos e aos tecidos de padrões tradicionais portugueses. É um constante diálogo e reflexão entre a tradição e a contemporaneidade, no sentido de uma interacção construtiva entre o que se define como valor local e universal.  


Recorrendo a elementos de carácter simbólico que representam o universo imagético da cultura popular açoriana existentes nas mais diversas manifestações como os romeiros, as festas do Divino Espírito Santo, o Santo Cristo dos Milagres, o folclore, etc., são criadas obras, em tecido e em ferro, com técnicas tradicionais que pressupõem o “saber fazer”. O uso do ferro surge como contraste à moleza dos tecidos e sobretudo à sua masculinidade, tão característica deste material, em contraposição à feminilidade dos têxteis. Por vezes recorro à apropriação de formas já existentes, de modo a criar um discurso artístico contemporâneo pertinente no que diz respeito à busca de identidade cultural, provocando no espectador uma reflexão e conhecimento da influência que a tradição pode exercer na arte contemporânea.”

Sofia de Medeiros

In http://www.sofiademedeiros.net


2 comentários:

Luís C. F. Henriques disse...

Já estava para comentar, mas aproveito este post para o fazer: Tem sido muito interessante seguir este blog. Para além de noticiar as visitas e actividades do Museu do vinho, tem tido a preocupação de ir dando a conhecer as tradições e cultura da ilha Terceira. Estou a referir-me especialmente à série de posts "Ciclo do Espírito Santo", onde tive oportunidade de conhecer melhor a tradição terceirense que, como sabe, varia de ilha para ilha. O que me impressiona é que num blog consigo encontrar mais informação (mais "sumo") que em alguns sites oficiais, muito "bonitos" mas secos no que ao "sumo" diz respeito.

As minhas sinceras felicitações pelo trabalho desenvolvido.

Cumprimentos,

Bagos de Uva disse...

Agradeço as simpáticas palavras, esperando vê-lo por cá para dois dedos de conversa na companhia dum verdelho.

Os melhores cumprimentos